29.11.05

Ricota caseira



Hoje, descobri que tinha três caixas de leite vencidas, fico chateada quando isso acontece, porque é uma falha de administração doméstica, mas como na natureza nada se perde, tudo se transforma, procurei uma receita para preparar uma receita de ricota caseira na internet.


Ricota Caseira

Fervi os três litros de leite e logo após desligar o fogo, acrescentei 12 c. de sopa de vinagre de vinho branco e 12 c. de sopa de água filtrada ao leite (ou seja, 4 c. de sopa de vinagre e 4. c. de sopa de água por litro de leite), misturei e deixei esfriar um pouco.

Forrei uma peneira com um pano de prato limpo e despejei, aí, a coalhada temperada com um pouco de sal. Espremi e deixei escorrer por duas horas.

O leite era desnatado e rendeu um queijo de cerca de 400g, talvez rendesse mais se o leite fosse integral ou tipo B como vi em algumas receitas.

 

Biscoitos nota 10 da Valentina!



Tinha certeza de que esses biscoitos feitos pela Valentina (receita postada no dia 20/11/05) deviam ser bons, só não imaginava o quanto! Crocantes, sequinhos... Uma delícia! Meu marido adorou.

Só para experimentar fiz quatro usando castanha de caju moída no lugar do coco ralado, ficaram gostosos, mas os originais são melhores.

A massa é meio molengona, no começo, tentei modelar os biscoitos, mas depois desisti. Quando são assados, eles se espalham bastante e ficam mais ou menos arredondados, por isso, é bom deixar espaço entre eles.



23.11.05

Yakimeshi improvisado


Yakimeshi improvisado

Sempre sei que preciso ir ao supermercado quando a geladeira começa a ficar vazia. Lembrava que tinha um pouco de arroz e um resto de bacalhau que havia preparado outro dia e queria fazer alguns bolinhos de arroz para o almoço. Ia usar os dois últimos ovos, mas quando fui quebrar o segundo, por um desses desastres que me são naturais, ele acabou caindo na pia e indo pelo ralo. Como sem aquele ovo não ia conseguir a “liga” necessária para fazer os bolinhos, decidi fazer um Yakimeshi (Yaki=fritar e meshi=arroz cozido).


Misturei o ovo ao arroz e ao bacalhau e adicionei cheiro verde picado, uma porção de queijo parmesão ralado, cebola picadinha e sal. Misturei bem, levei a uma frigideira com óleo e dei uma refogada. Ficou bom!


Isso pode ser feito com qualquer resto de carne, frango, presunto, etc... Se quiser fazer os bolinhos de arroz “à minha moda”, basta ter mais ovos para dar a liga colocar colheradas da mistura na frigideira com óleo, achatá-los com a espátula e virá-los para que fiquem dourados por igual.

Salada de pepinos "batidos"


Esta receita de salada de pepino é muito divertida e fácil de preparar. Ela foi retirada de um livro de culinária japonesa que trouxe da casa de minha mãe.


Salada de pepinos “batidos

Ingredientes


2 pepinos japoneses
1 pimenta malagueta aberta ao meio sem as sementes
1 dente de alho fatiado
2 c. sopa de óleo comum ou de gergelim
2 c. sopa de shoyu

Preparo

Lave bem os pepinos, enxugue-os e coloque-os sobre uma tábua de cortar, pegue um rolo de abrir massas e dê leves batidas em toda a extensão dos pepinos com ele (não se entusiasme ou terá pepino espalhado pela cozinha toda!). Em seguida, quebre os pepinos em pedaços com as mãos. Reserve.

Leve uma panela pequena ao fogo, coloque o óleo, o alho e a pimenta. Deixe fritar um pouco sem queimar e adicione o shoyu. Retire do fogo e despeje sobre o pepino, misture bem e deixe na geladeira por algumas horas antes de servir.


22.11.05

Bolo Inglês

Continuo a explorar o “Petit Larousse de la cuisine” com o qual minha sogra me presenteou. Esta é uma receita honestíssima de bolo inglês, fiz só com frutas cristalizadas, mas é possível variar bastante. Gostei mais dele hoje do que ontem, o que é um bom sinal, pois o maior defeito de um bolo é ser delicioso depois que sai do forno e começar a ficar ressecado no dia seguinte!


Bolo inglês



Ingredientes (para uma forma de bolo inglês):

100g de uvas passas
100g de frutas cristalizadas
1 taça de licor de rum
175g de manteiga (temperatura ambiente)
125g de açúcar
3 ovos
270g de farinha
1 c. sopa rasa de fermento
1 pitada de sal

 
Preparo:
Lave as passas, deixe-as macerar no rum com as frutas cristalizadas.

Acrescente o açúcar pouco a pouco à manteiga misturando sempre, adicione o sal. Trabalhe a mistura até que fique bem homogêneo. Coloque os ovos um a um. Adicione a farinha de uma só vez.
Escorra as frutas e as passas, passe-as por um pouco de farinha (cerca de 2 colheres de sopa) para que não fiquem no fundo do bolo. Adicione-as à massa junto com o rum em que foram maceradas. Acrescente o fermento e misture bem.

Preaqueça o forno à 210 C.

Despeje a massa em uma forma de bolo inglês untado e forrado com papel manteiga, ela deve preencher somente 2/3 da forma.

Asse à 210 C por 10 minutos, depois reduza a temperatura à 150 C e asse por mais 35 minutos.
Desenforme após retirar do forno e deixe esfriar.

Dica: Você pode diminuir a quantidade de açúcar para 100g e adicionar 2 colheres de sopa de mel, além de substituir as passas e as frutas por cerejas ou nozes...

20.11.05

Bacalhau à Gomes de Sá



Esta é a melhor receita de bacalhau que já comi. Nada, nada light, pois tudo é literalmente cozido no azeite! Foi passada de sogra para nora. A mãe de meu marido aprendeu com sua sogra e ela passou para mim. 


Bacalhau à Gomes de Sá


As quantidades não são exatas, como acrescentamos água ao feijão quando alguém chega de improviso, você pode colocar mais batatas para que a receita renda mais (ou o contrário!).


Cerca de 400g de bacalhau já dessalgado, sem pele e sem espinhas em lascas
400g de batatas
2 cebolas grandes
1 maço de cheiro verde
1 lata grande de sardinha em óleo
3/4 x de azeite
3-4 ovos cozidos
1/2 vidro de azeitonas pretas
sal a gosto

Preparo

Descasque e corte as batatas em cubos pequenos, corte as cebolas em rodelas e pique o cheiro verde.
Coloque parte do azeite em uma panela antiaderente e aqueça. Acrescente a cebola e deixe refogar um pouco. Em seguida acrescente as batatas, o bacalhau, as sardinhas em conserva (eu costumo retirar as escamas e as espinhas, mas isso é um hábito de infância) junto com seu óleo, o cheiro verde e misture bem. Adicione o azeite restante, tampe a panela e deixe cozinhar em fogo baixo. Misture de vez em quando, tome cuidado para que o fundo não grude e queime (bem, sempre gruda um pouquinho!). Verifique o tempero e acrescente sal caso necessário. Quando as batatas estiverem cozidas, está pronto. Coloque em um pirex, cubra com os ovos cortados em rodelas e com as azeitonas.

Dicas: Se tiver medo de deixar queimar na panela ou se estiver grudando muito, passe tudo para uma assadeira ou pirex, cubra com papel alumínio e leve ao forno até que as batatas fiquem macias.
Para uma apresentação mais bonita, use aquelas batatinhas para salada descascadas e substitua as cebolas por aquelas cebolas pequenas limpas e inteiras.


16.11.05

Filé mignon de porco ao Curry

Este prato foi retirado da revista “Cuisine e vins de France”. Outro prato simples. Muito bom para quem gosta de curry, um dos pratos preferidos de meu pai. Minha mãe sempre misturava algumas colheradas de curry com um pouco de farinha de trigo em um frigideira e ficava mexendo o pó com uma colher sobre o fogo. A casa inteira ficava cheirando a curry. Após algum tempo, ela despejava a mistura sobre a panela em que os legumes e as carnes estavam cozinhando e a sopa rala ficava dourada e espessa, naquela época eu não via nada de especial naquele prato, hoje, sinto saudades.

Este é o curry que minha mãe costumava usar e que eu ainda compro. Antigamente era preciso procurar nas lojas de produtos japoneses, mas agora ele é encontrado nos supermercados.


Filé mignon de porco ao Curry
 
Ingredientes:


750g de filé mignon de porco
300g de cebolas pequenas (tipo conserva)
1 pimentão vermelho
1 maçã
2 c. sopa de pó para curry (colocar menos se não gostar muito picante)
3 c. sopa de óleo
200ml de leite de coco
1 maço de coentro
sal e pimenta

Preparo


Corte a carne em pedaços iguais e descasque as cebolas. Limpe o pimentão, corte-o em tiras. Descasque a maçã e corte-a em pedaços.

Esquente o óleo em uma panela e deixe a carne dourar, depois, retire-a para um prato. Em seu lugar, coloque as cebolas, a maçã e o pimentão, deixe dourar. Acrescente o curry, o leite de coco, tempere com sal e pimenta, misture e deixe cozinhar em fogo baixo por 10 minutos. Devolva os pedaços de carne para a panela e deixe cozinhar por mais 15 minutos. Ao final, polvilhe o coentro e sirva com arroz.

13.11.05

Torta de peixe

Entre minhas receitas consagradas encontra-se esta Torta de peixe de uma das freqüentadoras do Cybercook (como podem ver, vivo por lá!). Ela se transformou em minha segunda receita preferida de bacalhau (a primeira, aprendi com minha sogra e um dia irei postá-la).
A receita original é para ser feita com um peixe qualquer, mas confesso que sempre usei o bacalhau em seu lugar.




Torta de peixe

1/2 kg de batata frita congelada (um pacote daqueles à venda no supermercado)
cebolas grandes em rodelas
500 a 700g de filé de peixe temperado, frito e desfiado (ou bacalhau demolhado: lavar o bacalhau cortar em pedaços e deixar de molho de um dia para o outro, ou por mais tempo, trocando a água várias vezes, dar uma leve fervida e desfiar, caso ainda esteja muito salgado, coloque de molho em um pouco de leite ou jogue um pouco de água quente)
molho branco com 2 caldos de galinha (sempre uso menos caldo de galinha, acho muito salgado)
2 ovos batidos
1 caixa de creme de leite

Fritar a batata e colocar no fundo de um pirex, na verdade, eu nunca frito a batata, sempre asso no forno e fica muito bom.
Refogar as cebolas em 3 col. sopa de azeite e deixe murchar, misturar com o peixe desfiado (ou bacalhau), se quiser, adicione cheiro verde picado. Colocar em cima das batatas no pirex.
Misturar os ovos batidos no molho branco (para o molho branco, ou béchamel: coloque cerca de 2 c. sopa de manteiga em uma panela, adicione cerca de 2 c. sopa de farinha, misture, adicione o caldo de galinha e cerca de 400-500ml de leite aos poucos, mexendo sempre para não empelotar, até engrossar). Colocar o molho em cima do peixe e por fim o creme de leite, polvilhar com queijo ralado e levar para gratinar bem.



Como acompanhamento, fiz um arroz branco e uma salada de folhas (alface americana e romana,
rúcula, pedaços de nozes, gruyère ralado e croutons. Para o molho da salada, misturei azeite, mostarda tipo dijon, sal, pimenta do reino e um pouco de vinagre).

Apple Pie

Os almoços de família são as ocasiões nas quais posso testar receitas e repetir aquelas que já se consagraram. Hoje, testei duas, uma mousse de camarão, de que não gostei muito, por isso não irei passar sua receita, e uma torta de maçã, cuja receita alguém havia pedido no fórum do cybercook. Ela é deliciosa, eu a recomendo a todos. Sua massa derrete na boca. Ressalvas: apesar de estar escrito que ela não iria grudar na forma, a minha grudou um pouco, usei aveia em flocos finos, porque era a única que tinha, também acho que a quantidade de maisena poderia ser diminuída, quando eu a assei, as maçãs nunca “borbulharam”, talvez pela “liga” da maisena, mas isso é apenas um detalhe... Basta olhar para essa fatia de torta com uma bola de sorvete de creme para ter boas lembranças...


Crispy de maçã da Annie - Apple Pie

Massa:

100g de manteiga em temperatura ambiente
50g de açúcar de confeiteiro
1 gema
150g de farinha de trigo

Bata muito bem o açúcar e a manteiga na batedeira ate ficar leve. Adicione a gema e bata um pouco mais. Adicione a farinha de trigo MISTURANDO ate incorporar tudo.
Embrulhe a massa no papel-filme e ponha na geladeira por 30 minutos. Abra a massa numa superfície enfarinhada e abra com o rolo deixando-a com um formato redondo. Não precisa untar a forma removível. Forre a assadeira e coloque na geladeira por mais 20 min. Depois deste tempo de volta à geladeira, pré-asse a massa colocando-a num forno com 180C por 15-20 minutos.

Recheio:

6-8 maças sem casca sem caroço cortadas em pedaços
suco de meio limão + água
1 colher(sopa) de manteiga
¼ xícara de açúcar
½ colher(chá) de canela em pó
¼ de colher(chá ) de noz moscada em pó
¼ de colher(chá) de gengibre em pó
2 colheres(sopa) de Maisena

Misture o suco do meio limão com um pouco de água pra não escurecer. Coloque as maças no fogo com a manteiga e deixe por uns 5 minutos pra murchar um pouco. Elas devem ficar macias mas no centro do pedaço da maça fica um pouco crocante.
Em seguida adicione o açúcar e mexa bem.
Adicione a Maizena diluída com um pouco de água + sal + canela + gengibre + noz moscada.
Mexa a panela e quando a Maizena começar a ligar toda a mistura, desligue o fogo e reserve. Deixe esfriar antes de rechear a massa.


Cobertura: (farofa)

1 xícara(chá) de farinha de trigo
1/4 xícara(chá) de açúcar mascavo
1/4 xícara de aveia em flocos (flocos grandes)
1/2 colher(chá) de sal
1/3 colher(chá) de canela
130g de manteiga


Bata os 5 primeiros ingredientes na batedeira para triturar e misturar bem. Adicione a manteiga e bata mais um pouco. Está pronto.

Montagem:
Com o recheio frio, bote na massa pré-assada. Note que fica bastante maçã, mas é assim mesmo, pois ainda ela murcha quando for ao forno.
Ponha a farofa por cima do recheio. Não deixe a farofa muito arenosa você amassa um pouco pra que fiquem em grãos maiores tipo empolada. Certifique que a farofa cubra totalmente as maças. Não amasse, espalhe a farofa gentilmente.
Num forno pré-aquecido de 180C coloque a torta por 25-30 minutos. Quando o recheio borbulhar é um sinal de que está boa.



Fui presenteada com coisas relacionadas à cozinha, um de meus novos prazeres... Minha sogra voltou da França com uma provisão de queijos (chèvre, brie e camembert) e um “Petit Larousse de la Cuisine”, quelle joie! Minha mãe me deu uma assadeira de muffins, fazia tempo que queria uma...

8.11.05

Torta de alho poro


Vi esta receita no site da Valentina, que, por sua vez, pegou a receita da Iliane Brasileiro, já tinha comprado os ingredientes há um bom tempo (ainda bem que o alho poró aguenta um tempão!) e decidi prepará-la hoje para o almoço. Esta torta é muito boa! A cobertura cremosa e a massa crocante, a minha ficou um pouco quebradiça e, para piorar, tentei desenformar a torta ainda quente, quebrando-a em vários pontos, mas ela é deliciosa e acabamos reparando sua aparência bem rápido, eu e O comemos quase ¾ dela no almoço.


Torta de Alho poró
 
Massa:
1 pacote de biscoito tipo aperitivo ou salclic
50 gramas de manteiga - temperatura ambiente
1 ovo

Recheio:
1 colher de sopa de manteiga
1 cebola média ralada
1 ou 2 alhos porrós em rodelas (somente a parte branca)
1 xícara de chá de cogumelos tipo champgon fatiado
1 colher de sopa de farinha de trigo
1/2 xícara de chá de leite
2 ovos
1 copo de requeijão cremoso (ou algo que substitua)
sal e pimenta do reino a gosto

Preparar a massa:
Bata os biscoitos no liquidificador.Coloque numa vasilha e acrescente a manteiga e o ovo, misture bem com as mãos.Forre uma forma de aro removível (24cm diametro) com esta massa, nivelando bem.Reserve.

Prepare o recheio:
Aqueça a manteiga e doure a cebola, junte o alho porró e os cogumelos até refogar bem.Dissolva a farinha de trigo no leite, acrescente os ovos e misture bem.Acrescente esta mistura líquida ao alho, cebola e cogumelo que já estão no fogo, mexendo sempre até virar um creme. Retire do fogo, coloque o requeijão e tempere com sal e pimenta do reino. Despeje no fundo da massa da torta reservada. Leve ao forno até voce sentir que a massa do biscoito esta crocante. Cerca de 25min.

7.11.05

Yakizakana (fácil!)


Esta é para quem gosta de Yakizakana (peixe assado), não é necessário usar o forno, a grelha ou churrasqueira, basta uma frigideira grande, algumas folhas de papel alumínio e sal grosso. A receita foi dada em um programa do canal japonês, a NHK. Eu fiz com uma cavalinha, mas com anchova é melhor, só escolha um peixe que caiba na frigideira.

Para começar, coloque a frigideira no fogo médio, forre seu fundo com uma folha de papel alumínio, espalhe um punhado de sal grosso (não muito), coloque o peixe limpo e cubra levemente com a outra folha de papel alumínio. Deixe assar por cerca de cinco minutos, em seguida passe o embrulho para um prato e vire sobre outro prato, recoloque o embrulho na frigideira para assar do outro lado por mais cinco minutos com mais um pouquinho de sal grosso. Desligue e retire o papel alumínio com cuidado. O peixe fica com uma crostinha "queimada", como nos restaurantes japoneses, melhor ainda, sem sujeira! Só tome cuidado para não queimar os dedos!

6.11.05

Alcachofra Recheada


A festa de aniversário de minha avó foi uma boa oportunidade para rever alguns de meus primos e tias. Como eu previa, surpreendi-me com o efeito dos anos. Os primos de que me lembrava como crianças são adultos e meus tios estão com mais cabelos brancos... Também matei as saudades de alguns pratos que só como nessas ocasiões, como o croquete de carne, uma instituição de família; a carne assada de uma de minhas tias, supermacia, deixada no forno por várias horas... Meu Bolo Pudim ficou igual ao da receita da Garoto, só que achei a parte do bolo um pouco pesada, poderia ser mais leve ou aerada.

Chegando em casa, preparei o jantar, mais alguns filés, cuscuz e alcachofras. Adoro esta receita de alcachofra recheada, ela é simples e gostosa, algum dia eu a vi em uma revista e sempre a repito. Muita gente tem um certo receio de comprar esse vegetal, na verdade, uma flor, o botão da planta, mas seu preparo é simples.

Para começar, corte a haste da alcachofra bem na base do botão, pegue uma faca bem afiada e corte as pétalas (bem, acho que são pétalas) retirando toda a ponta, depois, pegue uma tesoura e corte as pontas das pétalas que sobraram.


Em seguida, coloque em uma panela com água e cozinhe até que a base fique macia (espete com um garfo). O próximo passo é retirar o miolo da flor, use uma colher e vá raspando aqueles fiozinhos espinhudos com cuidado.

Você pode comer a alcachofra dessa maneira, temperando com um molho para salada. Aqui em casa, comemos alcachofras usando as mãos, vamos retirando as pétalas uma a uma começando pela base e comemos sua parte carnuda. A base, a parte mais gostosa, é deixada para o fim. Eu costumo recheá-la com uma mistura de pão amanhecido esmigalhado (ou farinha de rosca), salsinha picada, parmesão ralado, um pouco de cebola bem picada, sal e azeite (apenas para umedecer a mistura). Coloco no forno apenas para dar uma leve gratinada, como na foto.

3.11.05

Bolo de pera da vovó



Esta receita é de um Blog culinário de uma francesa chamado “Chocolate and Zucchini”, ele é delicioso, muito úmido. Fiz tudo no liquidificador, acho que até é possível colocar as amêndoas inteiras, se elas não estiverem sob a forma de pó. Tinha pensado em fazer isso, mas quando fui procurar as ditas cujas (que jurava ter comprado), não as encontrei em lugar algum. Acabei colocando castanha de caju no lugar delas, aquelas castanhas que vêm picadinhas e costumam ser usadas sobre sundaes. Ficou bom, com um toque local. A massa é tão gostosa que fiz algo que não costumo fazer: raspei o copo do liquidificador com uma colher! Espero que as amêndoas apareçam algum dia para não achar que estou começando a ficar louca! Dêem uma conferida no Blog da Valentina Jacome, Trembom, para verem a versão que ela fez do mesmo bolo! Ficou tão diferente do meu!



Bolo de pêras da Vovó

Ingredientes: - 125g de manteiga sem sal + 1 colher para untar a forma, 4 pêras grandes ou 6 pequenas (podem ser substituídas por maçãs, pêssegos, ameixas...), 150g de açúcar- 2 ovos - 60g de farinha de trigo - 20g (2 colheres de sopa) de amêndoas moídas - 1 1/2 colheres de sopa de fermento.

Pré-aqueça o forno a 200 °C. Derreta a manteiga em uma pequena tigela e deixe esfriar. Unte uma forma de bolo antiaderente (20-25 cm) com a manteiga reservada para isso.
Lave, descasque e corte as pêras em quatro pedaços. Forre o fundo da forma com eles.

Misture o açúcar e os ovos no liquidificador ou em uma tigela até que eles fiquem ligeiramente esbranquiçados. Adicione a farinha, o pó de amêndoas, o fermento e misture bem. Acrescente a manteiga derretida e misture mais um pouco. Coloque a massa sobre as frutas e asse por 40 ou 50 minutos.

Deixe o bolo esfriar por alguns minutos. Desenforme sobre um prato, se algum pedaço ficar grudado na forma, retire-o e coloque-o de volta em seu lugar. Inverta o bolo novamente usando outro prato. Sirva morno ou à temperature ambiente. (Geladinho, como na foto, também! Se ele for servido morno, a parte de cima da massa ainda não teve tempo de absorver o caldo da fruta, então, ela ainda está crocante, no dia seguinte, ela fica bem úmida e parece um pudim, ainda muito bom!)