15.9.06

Estou de volta!

Praia do Meireles


Obrigada por todos os comentários e votos de uma boa apresentação na universidade. A viagem a Fortaleza foi uma oportunidade de descobrir um outro canto do Brasil, outras pessoas e mesmo de descobrir algumas coisas sobre mim mesma ( por exemplo, agora sei que posso viver sem internet!)

A viagem de ida não foi muito agradável, após embarcar no avião, ficamos 50 minutos esperando ter permissão para decolar, pois o radar de Brasília que controla o tráfego aéreo da região centro-oeste, nordeste e norte estava com problemas (uma aeromoça confessou que isso ocorria uma vez por mês). Ficamos sentados como sardinhas enlatadas por 4 horas dentro do avião da Gol (50 min de espera + 3h de vôo), O estava de muito mau humor, ele tinha reservado assentos na primeira fileira para ter mais espaço para as pernas por causa da trombose, mas o espaço era mínimo, na verdade, nunca vi tão pouco espaço em um avião. Na volta, o avião era "normal" e o espaço na primeira fileira era enorme! (Infelizmente, nós viemos na 8a, mas ainda havia mais espaço ali do que na 1a fileira do modelo de avião anterior). Apesar de termos saído na hora do almoço, recebemos apenas um lanche de presunto, queijo e manteiga e as opções de suco, refrigerante e água. O mesmo foi servido na volta (saímos às 6:35h da manhã, acordamos de madrugada). Acho que nenhuma companhia brasileira serve mais comida nos vôos.


Quando saímos de SP, ainda estava meio frio, em Fortaleza fazia bastante calor. Fiquei até achando que estava quente apenas por lá, mas quando voltamos, fomos surpreendidos pelo calor e mormaço aqui.
Apresentei minha conferência, comi bem e andei um pouco. Fortaleza é uma cidade com mais altos do que baixos, como escreveu a Renata. Seu litoral é urbanizado e moderno, cheio de hotéis e prédios, mas basta nos afastarmos um pouco da orla marítima, para a paisagem mudar bastante. Os prédios dão lugar a casas e pequenas lojas. O que me impressionou foi notar como a preocupação com a segurança é grande, sempre nos recomendavam que pegássemos taxis quando íamos comer fora à noite e as notícias dos jornais locais falavam de sequestros e sequestros relâmpagos. A professora que nos recebeu disse que sua casa havia sido assaltada e por isso ela havia se mudado para um apartamento. Há pedintes e algumas pessoas dormindo nas ruas, também há prostituição, basta andar um pouco para avistar algumas garotas bem jovens esperando clientes. Pode parecer ingenuidade, mas esperava que os problemas do sudeste não tivessem chegado de tal forma até aquela região.


Apesar desses pontos negativos, há muita coisa boa, sempre fomos muito bem recebidos em todos os lugares, os habitantes da cidade são acolhedores e simpáticos e com certeza voltaria um dia para Fortaleza.
Acho que como apanhado geral, isso basta. Ainda tenho muito mais para contar.


 

11 comentários:

Patricia Scarpin disse...

Karen, querida, que bom vc estar de volta e também seus planos terem dado certo!

Certamente vc tem muita coisa pra nos contar. Adorei o post!

Tb estamos com saudades das suas comidinhas deliciosas.

Um beijo!

Ana disse...

Que legal q voltou, e mais ainda que foi tudo bem por la!
Eh sempre interessante "conhecer" lugares novos, mesmo q atraves das viagens dos amigos!
Estou ansiosa p/ ver o q esta por vir, mais fotinhos? Essa ai esta linda!
Ana

Akemi disse...

Karen, que saudades tuas! Estava ansiosa para receber notícias suas e de sua viagem à Fortaleza. Puxa que chatice ter que esperar tanto tempo para decolar. Se você acha sanduíche durante o vôo pouco, imagine aqui que recebemos apenas um suco e um pacotinho de amendoim nos vôos internos? rsss
Do Nordeste conheõ Maceió e Natal, as duas cidades são lindas e tranquilas. Mas o pessoal destas cidades fala mesmo que Recife, Fortaleza e Salvador já viraram cidades violentas. É uma pena. Mas dizem que as praias mais afastadas de Fortaleza são lindas e paradisíacas. Tenho muita vontade de visitar e conhecer principalmente suas rendas, lindas lindas!
Ai, já tá ficando enorme este post, gomen! *^o^*
Vamos esperar por mais coisas de sua viagem e conferência! Beijos!

Karen disse...

Patricia, foi bom ter dado um tempo na cozinha, logo volto a postar receitas.

Ana, tirei mais algumas fotos sim (menos do que desejava), ainda vou postá-las.

Akemi, eu me lembro do amendoim e do suco, rs! Mas as viagens pelo Japão não demoram tanto, quantas horas até Okinawa?
Eu não comprei rendas, sou meio mão de vaca (dizem as más línguas) e achei o preço meio alto. Tenho vontade de conhecer Natal, meu irmão e minha cunhada passaram a lua de mel lá e gostaram bastante.

Akemi disse...

É verdade! rsss Até Okinawa levam 2 horas, aí eles servem o tal amendoim, mas até Narita só suquinho! Lembro que mesmo no vôo de Curitiba/São Paulo, que leva o mesmo tempo, serviram sanduba e suco. Acho ainda que vcs estão mais bem servidos, hein! rsss
Ah que pena que não comprou rendas! Eles cobram um absurdo mesmo pelas rendas, mas pelo preço que cobram nas lojas em São Paulo, ainda acho que vale a pena! Fora isso, vc precisa ver a mão-de-obra disso, são verdadeiras obras de arte, impressiona a paciência destas rendeiras!

valentina disse...

Karen, bom retorno. Nao vou a Fortaleza ha muitos anos, mas na ultima vez que estive la fiquei muito triste em ver a coisa da prostituicao. Voce foi a o mercado? Tem artesanatos lindos. Sempre passei muito tempo no litoral, fora da cidade.E minha madrinha que mora em Fortaleza tem um casa numa praia linda chamada Prainha e passava muito tempo lá tambem. Comestes caranguejo? Tem otimas caranguejadas em Fortaleza. E feirinhas de artesanato. espero que overall tenha sido proveitosa a viagem.Problemas com voo e coisa e tal infelizmente sao facetas de viagens aereas, ne?!? Vira e mexe se tem uma ma noticia pra contar. A Gol é de charter flights, nao?!? Na Europa este tipo de compania nao da mais comida em voo. voce tem que pagar.Aguardo mais noticias da viagem por aqui.

miki w. disse...

karen, bem-vinda de volta!
triste essa coisa da violência... eu tb nao imaginada q já tinha chegado a esse ponto.
nao conheco fortaleza, mas quando fui a natal, fiquei muito encantada. eu amo praias e natal foi um dos lugares praianos de que mais gostei!
bjs, miki

Karen disse...

Akemi, eu sei que dá um trabalho danado para fazer as rendas e que o preço ainda compensa, mas fiquei pensando em quando iria usá-las, se valeria a pena deixá-las guardadas na gaveta, se não ia estragá-las na hora de lavar, etc.

Valentina, eu não comi caranguejos! Na quinta-feira, dia oficial da caranguejada, tínhamos que dormir cedo para acordar de madrugada e acabamos não podendo ir até a praia do futuro, onde dizem que é o melhor lugar para ir comer caranguejos! Uma pena! Se bem que me disseram que dá um pouco de trabalho retirar a carne... Fui até o mercado central! Adorei!!!!

Miki, nem deu para entrar na água, não deu tempo e ficamos hospedados na cidade, onde não é muito recomendável tomar banho. Tanta coisa que não deu para fazer!

Karen disse...

Ainda sobre o vôo, acho que ficamos mau acostumados, lembro da época em que fiz minha primeira viagem de avião pela TAM até Campo Grande e a companhia servia uma bandeja com várias coisinhas que a gente podia levar embora.v :-)

renata disse...

Voltaste? Estou atenta às tuas anotações sobre a viagem. Algo que nao gostei em Fortaleza foi o trânsito que é dose. Aqui em Brasília todo mundo respeita a faixa e pedestre pode atravessar a rua numa boa.Lá eles nem sabem o que é isso rs. No mais, é uma cidade com mais altos que baixos.

Karen disse...

Renata, concordo com você, há muito mais altos do que baixos. Também tinha que esperar um tempão para atravessar as avenidas mais movimentadas, o pessoal corre! rs