31.10.07

Torta de bacalhau "Daboana"



Receita que a Madalena Saifi colocou no Forum do Cybercook. Uma forma diferente de preparar bacalhau, ficou gostoso.



Torta de bacalhau "Daboana"

Purê:
2 kg de batatas cozidas e espremidas
2 c. sopa de manteiga derretida ou amolecida
1 lata de creme de leite
sal e noz moscada a gosto


Faça um purê batendo tudo no processador (eu apenas misturei bem os ingredientes) até obter uma massa lisa e homogênea.

Recheio:
1/2 kg de bacalhau (demolhado e desfiado)
Refogar alho e 2 cebolas em 5 ou 6 c sopa de azeite. Junte 1/2 kg de tomates picados sem peles e sem sementes. Adicione 1 lata de ervilhas, 1/2 x de azeitonas picadas (usei verdes), 3 c. sopa de catchup (não usei), cheiro verde, coentro, manjericão e alecrim a gosto (coloquei só um pouco das duas últimas ervas, pois elas são mais fortes).
Junte o bacalhau e deixe ferver. Acrescente pimenta do reino e orégano a gosto. Retire do fogo e junte 1 vidro de palmito picado.

Montagem:
Unte um pirex com manteiga e coloque metade do purê de batatas, o refogado de bacalhau e o restante do purê. Cubra com papel alumínio e leve para assar, quando estiver quase pronto (bem aquecido), retire o papel alumínio e coloque fatias de ovos cozidos, azeitonas e rodelas de palmito para decorar. Cubra com mussarela em fatias ou ralada (polvilhei queijo parmesão ralado) e leve ao forno novamente para derreter e dourar.

Se quiser, é possível substituir o bacalhau pelo camarão, mas a Madalena recomenda que se refogue o camarão em um pouco de azeite antes de acrescentar ao refogado, pois ele solta muito líquido. Se colocar o camarão diretamente no refogado, será necessário adicionar um pouco de farinha ou maisena para engrossá-lo.

27.10.07

A caverna do cão amarelo

Vi este filme/documentário sobre uma família de pastores nômades da Mongólia na semana passada e gostei muito. Uma história simples em um cenário deslumbrante. Espero encontrar o filme anterior da mesma diretora, "The Story of the weeping camel" (os títulos parecem saídos de fábulas!).

8.10.07

Bolo inglês de maçãs

Vi a receita no blog da Auntie Jo, ela é de um livro de Nigel Slater, o Kitchen Diaries, que eu também tenho, achei tão apetitoso que resolvi experimentar e não me arrependi, realmente gostoso e muito simples!


Bolo inglês de maçãs

130g de manteiga
130g de açúcar
3 maçãs descascadas e cortadas em cubinhos
suco de meio limão
1/2 c chá de canela em pó
2 c sopa de açúcar demerara ou mascavo
2 ovos
130g de farinha (acabei adicionando 30g de farinha de centeio, por isso a massa ficou mais escura)
1 c chá de fermento
3 c sopa de farinha de rosca (não usei, se puder, rale um pão amanhecido e empregue, pois a farinha de rosca comercial é meio ruinzinha)
açúcar demerara ou mascavo

Preaqueça o forno à 180C. Forre o fundo de uma forma quadrada de cerca de 24 cm com papel manteiga. O Nigel recomenda que a folha de papel forre a forma toda, inclusive os lados, para que baste levantá-la para retirar o bolo inteiro. (Não fiz isso, mas fica a dica).

Misture as maçãs picadas com o suco de limão, a canela e as 2 c de sopa de açúcar demerara ou mascavo. Reserve.

Bata o açúcar com a manteiga até que a mistura fique fofa. Adicione os ovos um a um. Adicione a farinha peneirada com o fermento e misture. Coloque essa massa na forma preparada, espalhe as maçãs sobre ela, polvilhe a farinha de rosca e, caso deseje, um pouco mais de açúcar demerara ou mascavo.
Asse por cerca de 55 min. Deixe esfriar por 10 min antes de desenformar.
Sirva morno (com uma bola de sorvete, quem sabe?)

1.10.07

Dica: como descobrir se o seu mel não está "melado"

Ontem eu assisti ao Globo Rural, um de meus programas favoritos, e havia uma reportagem sobre falsificação de mel. Os falsificadores fazem uma imitação de mel usando açúcar, essência e amido e a chance de estarmos comprando esse "xarope" ao invés de mel puro é muito grande. Felizmente, na reportagem, também ensinaram como fazer um teste simples para verificar se o aquilo que compramos é mel ou não!
Basta dissolver uma colher de sopa do mel na mesma quantidade de água, pingar três gotas de tintura de iodo (dessas vendidas nas farmácias), misturar e comparar a cor, se ela não mudar, é mel puro, se ficar mais escura, é porque houve uma reação com o amido e o produto é falsificado. Útil, não é mesmo?