10.11.10

Julie & Julia


Vi Julie e Julia há algum tempo. Acho que todos aqueles que frequentam os blogs de culinária conhecem o filme e seus personagens, não é mesmo? Julia é Julia Child, uma das autoras de "Dominando a arte da cozinha francesa", um livro de culinária que ficou muito famoso nos EUA nos anos 60. Ela era casada com um membro do corpo diplomático americano e viveu alguns anos na França, onde estudou na renomada escola de culinária "Le cordon Bleu", seu livro foi responsável por introduzir a culinária francesa no país ianque.

Julie é Julie Powell, secretária que ficou famosa após escrever um blog no qual se propunha a preparar todas as receitas do livro de Julia Child (mencionado acima) no prazo de um ano. O blog virou livro em 2005 e, finalmente, um filme que mescla cenas com a história de Julia Child e as experiências de Julie Powell com seu "projeto" culinário. Apesar de separadas pelo tempo, há alguns pontos em comum entre as duas mulheres. Para começar, ambas são casadas com homens muito compreensivos que observam pacientemente os momentos de crises existenciais de suas esposas. Julia encontra sua vocação na cozinha e dedica vários anos ao livro que consegue publicar após grandes esforços. Julia tem um emprego de que não gosta, sente-se mal por não ser bem sucedida como as amigas, mas a sua sorte muda quando o blog começa a fazer sucesso.

Acho que os autores de blog devem ter se identificado com a Julie, com a sua ansiedade em saber se há alguém "lá fora" lendo o que ela escreve. Isso é bastante verdadeiro, ao menos para mim. Por mais que digamos que escrevemos para nós mesmos, ter um blog é lançar uma garrafa com uma mensagem ao mar, um ato envolto em uma expectativa: a de que alguém a encontre algum dia.

Sem dúvida, a Julia Child é a pessoa mais interessante do filme, ela se casou aos 40 anos, acabou não tendo filhos, adorava comer e tinha uma personalidade divertida e excêntrica. O sucesso chegou bem tarde e ela viveu mais de noventa anos.

O filme tem lá a sua graça. Eu nunca preparei uma receita da Julia Child e só soube algo sobre ela quando notei que havia um certo alvoroço entre os blogs de culinária quando o filme foi lançado. 

Lá pelas tantas, O. virou-se e disse algo como: "Esse filme só confirma que não adianta nada os maridos dizerem para as esposas que elas são lindas, inteligentes, talentosas e que não precisam provar nada para ninguém, porque elas sempre nos ignoram, não é mesmo?".

Que poderia dizer?

9 comentários:

aline naomi disse...

HAHAHAHAHAHA... acho que tem mais a ver com o fato de as mulheres (eu diria, as PESSOAS) quererem provar que conseguem fazer o que se propõem. Alguém já tinha me falado sobre esse filme - provavelmente alguma amiga que gosta de cozinhar/de comer. Vou colocar na lista de filmes para ver, parece ser bacana! ;)

Beeijo!

Diogo Marques disse...

Já vi o filme e gostei bastante. Só a coragem e força de vontade dela de fazer todas as receitas do livro foi algo de inspirador. Ah, e a Meryl Streep faz um papelão. Recomendo a todos :)

a. luz disse...

É mara o filme, né?
Também, Meryl Streep!

Anônimo disse...

concordo, o filme tem sua graça. Mas não veria de novo, rs.
Eu acho o mundo dos blogs fantástico, é muito louco e de alguma forma aproxima as pessoas.
sayonara
madoka

Karen disse...

Aline, é, as pessoas são assim... rs

Diogo e A. Luz, ela é mesmo uma grande atriz.

Madoka, eu também não veria de novo. É um filme para entreter, mas nada demais.

Quéroul disse...

e eu li a postagem e jurei que tinha comentado e, né?
demorei pra assistir o filminho e achei fofo. gosto muito das duas atrizes, a Amy desde 'Encantada', e a Meryl desde que, sei lá, nasci?

acho fofo quando ela - a Julie - começa a ficar com aquela pancinha de manteiga, hahaha.
e eu me irritei tanto com o jeito de falar da Meryl, que fui ver no youtube algo da Julia Child: IGUAL!
nossa, a mulher era estranha.

filme fofinho, daqueles de assistir embaixo do edredon, e morrer de fome no final. ;)

kalina morena disse...

Karen
acho seu blog muito charmoso e gosto do seu estilo de escrever.
eu tambem vi esse filme e escrevi um pouco sobre ele no meu blog, mas nao me senti muito inspirada pra pensar muito no filme.
a vida real deve ter sido beeem mais fascinante, mas eu nao li o livro, infelizmente.
abraco.

Karen disse...

Quéroul, a Julia Child devia ser uma figuraça, não é mesmo?

Obrigada, Kalina! Saber que você gosta do blog me deixa muito feliz!

O filme mesmo não é lá essas coisas, mas é divertido. Eu também não li o livro, nem tenho vontade.

Ter conhecido a Julia Child na vida real é que seria muito interessante.

Beijos!

moranguita disse...

ainda nao vi o filma mas quero ver se vejo em breve
beijinhos