6.1.11

Das coisas que aprendemos morando no mato

Esperava que o botijão de gás acabasse entre o Natal e o Ano Novo, provavelmente em algum momento crucial: com um bolo no forno ou um assado, mas ele acabou mesmo enquanto fazia panquecas para o jantar. Por sorte, ainda havia luz e a chuva tinha dado uma trégua. Deixei a panqueca meio cozida na frigideira e fui lá fora fazer o serviço.

Respirei fundo, abri a portinhola da casa de botijões, matei duas baratas e ignorei a perereca que saltitava de um lado para o outro. Retirei um botijão e coloquei o outro, só que ele estava com um vazamento que não parava. Ouvia até o barulho do gás saindo. Depois de algumas tentativas frustradas, liguei para a distribuidora e o rapaz que me atendeu disse que não dava para mandar alguém aqui para trocar meu botijão (era o último cheio para variar), mas me ensinou a resolver o problema sozinha.

Se o vazamento surge quando você gira a válvula para encaixá-la, geralmente é o aro de borracha preta que fica lá no fundo do buraco que está com algum problema, ele pediu que eu retirasse a borracha do botijão com vazamento e trocasse com a do botijão que acabou. Logo que identifiquei a tal borracha, vi que ela estava com um corte. Lá fui eu com uma chave de fenda pequena e uma faca pontuda trocar as borrachas e não é que resolveu? Fiquei com medo de provocar uma explosão ou coisa do gênero, mas desde que você não faça movimentos bruscos, não há grande perigo. Acho.

O jantar foi salvo antes que a noite e uma chuva forte caíssem e agora tenho um conhecimento novo (e relativamente útil, pois gás encanado é algo que não verei tão cedo por estas bandas).


 A origem do problema


6 comentários:

Quéroul disse...

gente, você é muito intrépida.
nunca troquei o gás, mas acho que até faria no aperto. mas matar baratas?
E DUAS???

heroína minha! hooray!

Karen disse...

Quéroul, sou a matadora oficial de baratas da casa. O. não é muito chegado na coisa...

aline naomi disse...

"O. não é muito chegado na coisa..." >>> HAHAHAHAHAHAHA

Aprendi essa da borrachinha agora. Na verdade, ainda não tive de trocar o botijão de casa ainda. Mas não deve ser nenhum bicho de 7 cabeças. Eu acho.

Karen disse...

Aline, pois é, o casal funciona assim! rs

É fácil trocar botijões, não se preocupe! ;)

Letrícia disse...

Karen, você é minha ídola - enfrentar perereca e gás, tudo de uma vez? Nossa, não dou conta.

Felizmente, barata não é problema pra mim. Ao menos isso, néam.

Beijos!

Karen disse...

Letrícia, mulher tem que matar barata para impor respeito, não acha? rs