17.2.11

Da comida de mãe

.



Cada vez mais eu me convenço de que a boa comida era aquela da minha infância: arroz, feijão e alguma mistura feita com um vegetal e um tiquinho de carne apenas para dar gosto. Minha mãe variava só o vegetal, o preparo era sempre o mesmo. Bife aparecia em dias especiais e eu só soube o que era filé mignon bem mais tarde.  Não havia pizza, nem chinês, nem congelados. O refrigerante chegou na adolescência, mas não se transformou em vício. Na verdade, não o bebo há anos e não entendo como um líquido artificial e doce possa ter se transformado em uma indústria, mas isso não vem ao caso. O conceito de sobremesa também não existia na minha família. (Mas devo confessar que comi muito doce de bar e biscoitos).  Enfim, hoje há muita opção, mais fartura, mas não acho que a comida seja mais saudável ou mais gostosa.

Ando com uma "nostalgia alimentar".




.

6 comentários:

Ana disse...

Nossa, vc falou tudo q eu sempre falo Karen!
Concordo demais com voce. Agora ha muito mais fartura mas as escolhas sao pessimas. A comida sem duvida eh muito menos saudavel e muito mais artificial.
Na minha casa era muito como na sua, arroz, feijao, legumes e carne quando podiamos. Feitos geralmente do mesmo jeito e variando no vegetal. Eu tbem so descobri o q era file mignon depois de adulta. Acho q ate hoje nunca foi feito um desses na casa de minha mae (na verdade nem aqui na minha...).
Quanto ao refrigerante, eu tbem nao tomo, ha muitos e muitos anos ja. Nao gosto, acho doce demais e acho pessimo o gas (nao gosto de nada de liquido com gas. Champagne eh bom, mas bem pouquinho, meu estomago nao gosta de bubbles, hehe). Tbem nao entendo como eh q pode tanta gente no mundo gostar de refrigerante, eh algo incompreensivel p/ mim.
Essa "nostalgia alimentar" me pega sempre, principalmente quando vou almocar com meu filho no refeitorio da escola e vejo o modo com q essas criancas se alimentam, to say the least, eh triste.
Beijos!
Ana

Karen disse...

Ana, eu gosto de champagne, fora isso, não bebo nem água com gás! rs

Eu comi muita porcaria na adolescência e reclamei muito da comida da minha mãe, mas hoje vejo as coisas de forma diferente. Tento cozinhar coisas mais saudáveis, mas sem nada extremo porque tenho medo de todas as formas de fundamentalismo. "Reeducar" o O. é que é difícil. (Se bem que ele melhorou bastante!)

Beijos!

ameixa seca disse...

Belos tempos, os da infãncia, sem artificialidade nenhuma :)

Karen disse...

Ameixa, pois é...

kalina morena disse...

a sobremesa na minha casa era salada de frutas. quer coisa mais feliz e colorida? e eu hoje tarada por doces. quer coisa mais sem nocao?

Karen disse...

Kalina, adoro salada de frutas, doces são bons, mas sabe que desviciei! rs