1.3.11

Das coisas para ler


Professora de japonês emprestou dois mangás de uma sérrie que conta a história do Japão. Eles são fáceis e rápidos de se ler, mas como ando sem muito tempo para tudo, tenho demorado bastante para ler qualquer coisa que seja. E pensar que são 18 volumes...

Este aqui é sobre o período das "grandes tumbas" dos senhores poderosos que pipocaram no Japão por volta do século VI. Eles tinham o mau hábito de enterrar vários objetos preciosos e até mesmo pessoas vivas quando morriam para que não passassem "necessidades" no além. Depois, esse costume mudou e as pessoas e os objetos foram substituídos por estátuas de cerâmica. (Pelo visto, todos os povos têm um histórico de práticas bárbaras).



Ainda não terminei o último volume de 1Q84, falta pouco, mas falta.

Também "empaquei" em outras leituras. Uma delas é Detetives Selvagens do Roberto Bolaño, autor chileno que virou "darling" dos críticos. O. amou o livro, mas eu ainda não fui fisgada. Sei lá, acho que é muita realidade latina pro meu gosto. Ao contrário do autor, gosto de realismo mágico, ele torna tudo mais palatável. Mas vou insistir. (Se bem que isso também não é garantido, morri nos primeiros capítulos da trilogia do Javier Marías, Tu rostro mañana, e, no momento, nem penso em abri-lo novamente).

No mais, não vi nenhum filme do Oscar e nem sinto vontade de assistir a nenhum dos indicados. Faz tempo que não sinto vontade de assistir filmes. De repente a ideia de ficar sentada olhando uma trama se desenrolar na tela me parece cansativa demais. É uma fase. 

5 comentários:

vinho um ritmo de vida disse...

bom dia,

gostei muito do seu blog e pelo que li... e nada melhor que o vinho para acompanhar as refeições bem preparadas...

Peço-lhe um um favor, que coloque o link do nosso blog no seu site para que as pessoas também possam conhecer mais sobre vinho...

Forte abraço
http://vinho-umritmodevida.blogspot.com/

Debora Correa disse...

Oi Karen! Gostaria de saber qual é o mangá de história do Japão que vc está lendo! Beijos

Karen disse...

Debora, então, é o que aparece na foto. Ele deve ser no mínimo dos anos 70-80 e publicado no Japão, pois minha professora disse que foi a sogra que enviou para ela: "Nihon no rekishi" da Shueisha.

Anônimo disse...

então quer dizer que só em sebo eu vou encontrar essa publicação! Vou procurar, obrigada em compartilhar conosco. Estou vendo que tem furigana no mangá?
madoka

Karen disse...

Madoka, tem furigana em todos os kanjis, é ótimo!