21.4.11

Das limpezas


Passei o primeiro dia do feriado limpando a edícula onde vão parar todas as coisas que não cabem dentro de casa: livros, revistas, caixas, muitas caixas, O. guarda tudo, absolutamente tudo. E eu tenho que limpar. Tento sempre empurrar com a barriga, esquecer que essa é uma tarefa inevitável ao menos uma vez por ano, mas não deu mais, o dia chegou. Hoje ajeitei as caixas e limpei as mesas com as revistas e jornais literários. Temos mais de dez anos de National Geographic e os números mais recentes ainda estão dentro de casa. Adoro a revista, acho legal o fato de colaborar com a instituição, mas ando meio cansada de ter que arrumar espaço para elas. Pedi para o  O. não renovar mais a assinatura. 

Não cruzei com nenhuma barata, entretanto, elas deixaram alguns "presentinhos" aqui e ali, então imagino que tenham passado por lá em algum momento. Agora só faltam as estantes com os livros. Espero que nenhuma traça tenha comido um autor de que eu goste.


.


3 comentários:

Quéroul disse...

mas nem me fale na fase da organização. lá na roça, minhas coisas foram se mudando de um lugar pra outro em diferentes momentos, e por diferentes pessoas. então, eu mesma não sei onde metade das coisas está.
e o que eu descobri o paradeiro tá bem mais ou menos: algumas coisas estão emboloradas, outras amassadas, outras mancas... triste!

preciso um dia ficar lá e organizar/limpar tudo de novo. vai ser terrível.

boa sorte e boa páscoa. ;)

Sérgio Gomes disse...

Estas grandes arrumações são sempre uma dor de cabeça! Nunca há espaço para guardar tudo, mas mesmo assim as coisas vão-se acumulando. No caso das revistas o melhor é mesmo ler e deitar fora! É o que eu tenho que começar a fazer também.

Beijos.

Karen disse...

Quéroul, eu sou meio control freak, então preciso sempre saber onde minhas coisas estão e organizá-las. (Se bem que isso nem sempre funciona). rs

Sérgio, nem me fale em espaço. Aqui há falta dele! Eu até jogo revistas fora, mas não tenho coragem de fazer isso com a National Geographic.