30.6.11

Da paciência feminina

Esses dias, quase terminei de ler um livro de mais ou menos cem páginas esperando uma consulta médica. Cheguei quarenta minutos mais cedo, a secretária já avisou que havia um grande atraso, saí para almoçar porque não tive tempo de fazer isso em casa e ainda esperei mais duas horas. Acho que mulheres se submetem mais a esse tipo de coisa, quer dizer, a ficar esperando horas em consultórios. Um homem já teria ido embora depois de, no máximo, quarenta minutos. O O. tem um limite de trinta minutos, depois disso ele diz tchau e procura alguém que atenda no horário. Como sou eu quem marca as consultas dele, sempre pergunto se o médico é pontual e devo admitir que há médicos que atendem no horário e até antes, mas é preciso procurar e eu ainda não fiz isso com os meus (não que tenha muitos). 

Também parece ser uma característica das mulheres perdoar o chá de cadeira porque o médico é "bonzinho" ou "simpático", critérios que um homem não adotaria.

Conheço o médico em questão desde a época em que ele atendia em um consultório apertado em um prédio e não em um casarão com máquina de expresso e grão moído na hora. Tenho que marcar a consulta com meses de antecedência e sempre sei que vou esperar, mas respiro fundo e digo que é apenas uma vez por ano e que, enfim, "ele é tão bonzinho!".

13 comentários:

Luna disse...

Karen, pois eu concordo com seu marido, rs. Eu não espero por médico, já abandonei vários por causa disso, afinal não é nenhum favor, estamos pagando pelo serviço. Beijo! ;)

Judy disse...

Acho que está explicado o café expresso... ajuda a distrair e manter acordado os pacientes.

É um desrespeito, tem médico (dentista) que acha que ninguém mais no mundo trabalha, tem compromisso, casa e família para cuidar e pode passar horas esperando pelo atendimento.

Eles podem ser "muito bonzinhos" mas também determinei meia-hora de tolerância, deixei de ser a paciente-adjetivo agora sou a paciente-substantivo.

bj

Karen disse...

Luna e Judy, pois é, eu também não costumo ir a médicos que atrasam muito quando é alguma especialidade que não necessite de um acompanhamento contínuo e troco sem problemas, mas no caso deste, fiquei em uma situação complicada. Já tentei uma outra opção uma vez e não gostei. Estou pesquisando minhas opções.

tatiane disse...

Eu costumo ir trocando de médico que atrasa e faz consulta às pressas, enquanto o plano de saúde permitir e a minha disposição para ir em lugares mais longe. Acho o fim médico que atende em consultório, tem seus próprios horários, e ser desorganizado dessa forma.
Normalmente quem tem mais paciência com atrasos é meu marido. Se atrasa 15 min eu já estou bufando!
bjs

Ana disse...

Total coisa de mulher Karen! hahaha!
Eu tbem vou a um medico q fica a 45 minutos de onde eu moro (cidade vizinha) e q tem um atraso constante, sempre sei q vou esperar e ja vou armada com livro, revista, etc. Mas eh talecousa ne... ele eh muito bonzinho e eu gosto/confino nele!
Ana

Karen disse...

Tatiane, aqui é contrário, é até chato porque meu marido sempre diz alguns desaforos para a atendente que não tem nada com o atraso...

Ana, no caso deste médico, isso é verdade, mas essa última espera me deixou meio cansada.

Quéroul disse...

eu tenho uma médica que é muito, mas muito, mas MUITO atrasilda. ela atende super bem, leva tipos que uma hora com cada paciente. e isso não a impede de marcar consultas a cada vinte minutos.
e eu sempre espero, e eu sempre bufo e quando entro no consultório dela, meu coração se enche de amor e eu esqueço que nas horas passadas eu queria apenas matá-la.

esquisito isso.

Karen disse...

Quéroul, eu entendo, há aquele "em compensação..."

Marly disse...

Oi, Karen,

Eu odeio esperar e a minha paciência é bem curta. Mas como conheço bem a rotina dos profissionais da área de saúde (meu marido é dentista), sei que muitos deles (a maioria!) tem mais de um emprego e uma vida louquíssima, no que se refere à emprego do tempo. Questão difícil esta, viu? De qualquer modo, eu não espero depois de um limite, rsrs. ;)

Marly disse...

Ai, eu mudei a palavra anterior que era 'divisão' para 'emprego' do tempo, e não atentei para a crase, que continou. Leia-se AO em vez de à, kkkkk,

Dahiane disse...

Me identifiquei com o post e concordo plenamente! Infelizmente, é tão difícil encontrar médicos bons(tanto no diploma e experiência, como no humor!)hj em dia que acabamos relevando os atrasos. bjos e bom fds :)

Karen disse...

Marly, eu não entendo como os profissionais da saúde conseguem fazer tantas coisas ao mesmo tempo. É uma rotina doida mesmo, mas acho que alguns poderiam gerenciar melhor o tempo, atender menos, mas com mais qualidade, por exemplo, porque há uns que poxa...

(E precisa se preocupar, isso acontece!)

Dahiane, infelizmente é assim. :(

Georgia disse...

Karen é isso mesmo. Mulheres esperam, homens vao ao médico se forem prescionados por alguém ou alguma coisa e chegar lá e ter que tomar chá de cadeira? Ai é pedir demais dos pobres coitados, rs.


Bjao