23.2.13

...

Fiz novas mudas de citronela para plantar ao redor da casa, quero espantar as nuvens de pernilongos que nos espreitam. Agora estou com telas mosquiteiras e posso deixar todas as janelas abertas sem receio. Isso não tem preço. (Os insetos agora só entram pela porta que abro e fecho várias vezes ao longo do dia).

Acabei com os pés de cosmos e por isso não vi tantas borboletas no jardim, uma pena. De vez em quando encontro uma na cerca.


 
 
 

17.2.13

Granola com azeite e mel


Inspirada em inúmeros exemplos da blogosfera culinária, resolvi me aventurar no fabuloso mundo da granola caseira. Eu me baseei na receita da Marge, mas todas aquelas que você encontrar na internet devem funcionar, o importante é respeitar as proporções. O bacana de se fazer granola em casa é que simplesmente podemos "criar" uma receita que se adapte a nosso gosto, colocar um pouco mais de nozes, menos passas e controlar a quantidade de açúcar. Também é bom saber qual a procedência e a qualidade de cada ingrediente.

O preparo é muito simples, basta misturar tudo (com exceção das frutas, que entram no final), espalhar na forma e ficar mexendo de vez em quanto para tudo dourar por igual e não queimar (essa é a parte mais chatinha, especialmente com o calor dos últimos dias). Usei só mel para adoçar. Não gosto de granola muito doce e, como geralmente ela é consumida pura (boto um punhado na mão e levo à boca na hora em que dá vontade), achei ideal.

O resultado final ficou muito bom, uma granola bem honesta e crocante. Ela tem uma tendência a grudar, mas basta dar uma mexida com uma colher ou desfazer os pedaços com as mãos na hora de guardar ou consumir.

Você pode substituir as frutas secas, o tipo de óleo e usar melado ou maple syrup no lugar do mel. 
 


Granola com azeite e mel


3 x de aveia integral prensada
1 x de castanha de caju (sem sal), nozes, pecãs ou castanha-do-Pará picada (ou uma combinação)
3/4 x de amêndoas picadas ou em lascas
1/2 x de sementes de girassol ou abóbora (não usei)
1/2 x de coco ralado em flocos (adoçado ou não, de acordo com sua preferência)
1/4 x de sementes de gergelim
3/4 x de passas (ou as frutas secas que desejar)
3/4 x de mel (ou melado, ou maple como na receita original)
1/2 x de azeite
1/4 x de açúcar mascavo ou demerara fino (não usei)
1 c. chá rasa de sal
1/2 c chá de canela em pó
cravo em pó a gosto ou outra especiaria de que goste


Pré-aqueça o forno à 150 C. 

Misture todos os ingredientes com exceção das passas e espalhe sobre uma assadeira grande. Leve ao forno por cerca de 35-45 minutos, dependendo do forno, mexendo a cada dez minutos para que a granola não queime e grude nos cantos, ela deve ficar dourada por igual e tostada.

Retire do forno e adicione as passas. Misture e deixe esfriar completamente. 

Coloquei minha granola na geladeira em potes fechados e irei consumí-la aos poucos, ainda não tenho uma boa ideia de por quanto tempo ela se conserva, mas imagino seja bastante.


Ingredientes na tigela
Depois de tudo misturado, pronta para ir ao forno

8.2.13

3 Irmãs - Anton Chekhov

As peças de Chekhov deviam ser consideradas bem "cabeça" na época em que foram representadas pela primeira vez, os temas continuam atuais:

Andrey: Oh, para onde foi a minha vida? - a época em que era jovem, alegre e inteligente, quando tinha belos sonhos e grandes ideias e o presente e o futuro eram cheios de esperança? Por que nos tornamos tão sem graça, comuns e desinteressantes pouco antes de começarmos a viver? Por que ficamos preguiçosos, indiferentes, inúteis, infelizes?... Esta cidade existe há duzentos anos, cem mil pessoas vivem nela, mas não há uma única pessoa diferente das outras! Nunca houve um estudioso, artista ou santo neste lugar, nem um único homem excepcional o suficiente para fazer com que tivéssemos um grande desejo de imitá-lo. As pessoas aqui não fazem nada além de comer, beber e dormir... Então elas morrem e outras tomam seu lugar, e elas comem, bebem e dormem também - e só para introduzir um pouco de variedade em suas vidas e evitar que se tornem completamente estúpidas devido ao tédio, elas se entregam à sua repugnante fofoca, à vodka, aos jogos e às ações judiciais. As esposas traem os maridos e os maridos mentem para suas esposas, fazem de conta que não veem e ouvem nada... E toda essa opressiva vulgaridade e mesquinharia esmaga as crianças e apaga qualquer chama que possam ter, assim, elas também se tornam miseráveis, criaturas semimortas, como todas as outras, como seus pais...