8.2.16

Janeiro, fevereiro...

E o primeiro mês do ano já se foi. A máquina de lavar chegou e já está funcionando. O sensor da entrada de água da antiga não funcionava mais e eu tinha que enchê-la com uma mangueira (o que gerava alguns transbordamentos). É ótimo poder colocar a roupa dentro da máquina nova, ligá-la e  esquecê-la até o fim do ciclo de lavagem.

Um técnico veio dar uma olhada na piscina e, como suspeitava, o problema parece ser mesmo estrutural. Ele quer tirar os azulejos dos locais com trincas e fazer uma impermeabilização. Eu contei 14 trincas nos azulejos e entre os rejuntes. Ele me mandou um orçamento para reparar 5-6, depois que o questionei, ele disse que viria para contá-las comigo para poder dar alguma garantia. Sinceramente, já fiquei com um pé atrás. Paguei pela vistoria e para detectar os vazamentos. Ele não me enviou um recibo ou o "laudo técnico" como prometido. Vamos ver se ele fará isso depois que vier aqui novamente. Esperava algo mais cuidadoso, detesto quem aparece dizendo que solucionará os seus problemas e ainda se oferece para fazer coisas extras (obviamente, não de graça). Primeiro, prove que é um bom profissional. Se gostar, irei chamá-lo novamente, oras. Estamos pensando em cobrir tudo com vinil. Ele teria que ser trocado após alguns anos, mas mexer nas trincas não me parece lá muito garantido. Qualquer movimentação da terra poderia fazer com que elas retornassem. Além disso, a piscina é antiga, tem cerca de 30 anos. 

Piscina. O típico objeto de desejo da classe média e fonte de muitas dores de cabeça. Tomar sol na beira da piscina bebendo um coquetel é a fantasia mais besta que existe. O proprietário faz isso algumas vezes por ano e apenas no início. Quem se diverte mesmo são os amigos, amigos dos filhos e os netos. O resto do tempo é feito de retirar folhas, esfregá-la, colocar cloro, algicida, clarificante, aspirar a sujeira, esvaziá-la, enchê-la, consertá-la. Sei disso porque sou a "piscineira" oficial da casa.

Recebi uma muda de gumi e outra de limão yuzu do viveiro do Edilson. Vieram pelos correios, achei ótimo poder comprá-las assim. Substituí algumas mudas que secaram após as chuvas. O gumi (Elaeagnus umbellata), ou alegria dos pássaros, dá umas frutinhas vermelhas e, apesar do nome, elas podem ser consumidas também pelos seres humanos, são doces, mas bastante adstringentes. Um conhecido de meu pai tinha um pé na frente da casa e sempre comíamos as frutinhas quando o visitávamos. O yuzu é bastante usado na culinária japonesa e já fazia algum tempo que pensava em arrumar uma muda.

A figueira que também comprei do Edilson está com frutos assim como os pés de maracujá, as mudas foram feitas a partir de sementes. 

figos roxos
alegria dos pássaros
yuzu
glória da manhã
flores de almeirão do vizinho
mudas de cerejeira, surgiram de sementes que germinei, espero que ao menos deem flores
maracujá azedo
rosa do deserto, estou louca para ver as flores

Nenhum comentário: