1.12.08

Pão de vinho e nozes

Pão absolutamente delicioso publicado pela Sandra no blog Le Pétrin (em francês). A massa leva um pouco de vinho e nozes, o gosto de nozes predomina, pois parte da quantidade é batida com o vinho, mas definitivamente há um "retrogosto" de vinho na massa. Ótimo com um queijo e, por que não? Um cálice de vinho...

Amassei na máquina, mas a receita dá as instruções para a confecção manual. Meu pão não ficou com a casquinha igual ao do pão feito pela Sandra, talvez por ter pulado a parte de vaporizar o pão com um pouco de água antes de assar (e por não tê-lo virado enquanto assava). Preciso procurar um vaporizador no supermercado, um daqueles de jardinagem deve servir...


Pão de vinho e nozes

200g de farinha especial para pães
100g de farinha de trigo integral fina
2 c chá de fermento biológico instantâneo seco
1 c chá de sal
50g de nozes (1)
125ml de vinho tinto seco (no caso, usei Malbec)
75ml de água
2 c sopa de azeite
100g de nozes (2)

Em uma tigela grande, misturar as farinhas com o fermento seco, adicionar o sal e misturar.

Em um liqüidificador, bater as nozes (1) com o vinho, a água e o azeite até obter um líquido espesso e homogêneo. Adicionar esse líquido à tigela com as farinhas, juntar as nozes e misturar até a formação de uma bola de massa que grude ao redor da colher e se descole da parede da tigela.

Desgrudar a massa da colher e trabalhar a massa rapidamente na tigela com as mãos apenas até formar uma bola. Cobrir com um pano de prato limpo e deixar repousar por 10 min.

Untar ligeiramente uma superfície de trabalho e também as mãos com óleo. Colocar a massa sobre a superfície preparada e sovar por 15-20 min. Devolver a massa à tigela, cobrir novamente e deixar repousar mais 10 min. Repetir essa operação de sova mais uma vez, cobrir e deixar crescer por cerca de 1h15 min, ou até que massa dobre de tamanho.

Colocar a massa sobre a superfície de trabalho ligeiramente enfarinhada e retirar o gás parcialmente apoiando a palma da mão levemente sobre ela. Modelar um pão oval e colocar sobre uma forma revestida com papel alumínio. Cobrir e deixar crescer por cerca de 1h.

Preaquecer o forno à 210°C. Vaporizar a superfície do pão com água, polvilhar com um pouco de farinha peneirada para dar um ar rústico e riscar em xadrez com uma faca.

Assar por cerca de 45 min virando o pão na metade do tempo para que asse de forma homogênea (não fiz isso). O pão assado fica com uma cor caramelo e soa oco quando recebe batidas.

10 comentários:

laila disse...

erta evz tentei fazer um pao de vinho...mas ficou tão duro...coitado... o seu esta lindo karen! bjs

Karina disse...

Ai moça, tô aqui com água na boca..

Laurinha disse...

já via um pãp de/com vinho... nunca fiz/experimentei, fiquei tentada agora, vendo o seu...

Beijinhos

risonha disse...

muito original este pão...
vou tomar nota da receita.

Ziza disse...

Curioso. Adorei mesmo!

Paulinha disse...

Karen a aparência está ótima! Está dando água na boca.
Essa farinha especial para pães, seria aquelas tipo reserva especial???
Beijos

Luciana Macêdo disse...

Não conhecia pão de vinho e a cor ficou bem de acordo. Fiquei curiosa para experimentar.
Bjs!

Karen disse...

Laila, este pão fica muito bom, não fica nada duro!

Karina, :)

Laurinha, vale a pena!

Risonha e Ziza, o pão é bastante original mesmo e bem gostoso.

Paulinha, a farinha para pães que uso é aquela da fleischmann vendida nos supermercados.

Luciana, eu também não conhecia e fiz para matar a curiosidade! ;)

Ana disse...

Karen, que receita interessante, esse tipo de pao eu nao conhecia.
Outro dia provei uns crackers feitos com vinho e simplesmente adorei, acho q vou tentar fazer seu pau pois meu marido vai gostar, ele curte um vinho tinto!
Beijos!
Ana

RUTE disse...

Oi Karen,

venho do blog: //publicarparapartilhar.blogspot.com/.

Encontrei este post há uns dias e não sosseguei até experimentar confeccionar o pão de vinho com nozes.

Resultado: Adorei. É um pão espetacular. Postei artigo com fotos e referi o seu blog como origem.

Obrigada pela partilha.
Beijinho de Portugal.