5.1.11

Haruki Murakami, 1Q84 (1 de 3)



(Atenção: há muitos spoilers aqui, se você pretende ler a tradução em inglês que deve sair no final do ano, sugiro que não leia o que escrevi abaixo).

Terminei o primeiro dos três volumes do romance do Haruki Murakami. Ele é cheio de acontecimentos estranhos e lembra muito as histórias de mistério e suspense com toques sobrenaturais que os japoneses tanto apreciam.

Cada volume é composto de 24 capítulos que intercalam as histórias de Tengo e Aomame, os dois personagens principais, cujas vidas estão ligadas de várias formas (ainda não muito claras).

Aomame vai completar trinta anos e é professora de artes marciais. Ela também realiza um trabalho "extra" muito peculiar (e que não direi qual é) para uma senhora que abriga mulheres vítimas de abusos dos maridos. Esse trabalho a leva a investigar um grupo religioso sobre o qual ninguém sabe quase nada.

Tengo tem a mesma idade de Aomame, dá aulas de matemática em um cursinho e escreve no resto de seu tempo livre. Ele realiza trabalhos freelance para um editor, Komatsu, que acredita em seu talento, mas acha que ele ainda deve "polir" seu estilo. Uma das funções que lhe é delegada por Komatsu é a de ler alguns textos submetidos a um concurso literário e "filtrar" aqueles que têm mais chances de ganhar. Tengo gosta muito de uma obra, mas Komatsu acha que o texto ainda contém falhas de forma e estilo, mas a história é tão original e interessante que ele propõe que Tengo "corrija" o texto. A princípio, ele reluta, mas a ideia o seduz e ambos vão procurar a autora da obra que consente em levar aquele "golpe" adiante.

A autora do texto em questão é uma garota de dezessete anos muito misteriosa, Fukaeri, que foi criada em uma propriedade "comunista" fundada por seu pai e outros intelectuais dissidentes. Todos trabalham a terra juntos e produzem verduras e legumes orgânicos. Há uma série de incidentes envolvendo alguns de seus membros e, ao final, a propriedade se transforma em um tipo de comunidade religiosa muito fechada, a mesma que Aomame tenta investigar. Fukaeri de alguma forma parece ter fugido desse lugar e mora com um antigo amigo da sua família. Ela não conta por que fugiu ou o que aconteceu com seus pais, dos quais ninguém tem notícias. Tudo o que se sabe é que algo muito estranho está acontecendo na comunidade religiosa.

O texto de Fukaeri modificado por Tengo ganha o prêmio e vira um livro. No enredo, ela menciona seres estranhos chamados de "little people" que a ensinam a construir "crisálidas de ar" . Segundo ela, quando as crisálidas forem completadas, farão com que mais uma lua brilhe no céu. Ninguém sabe quem  ou o quê são esses tais de "little people", mas Fukaeri insiste que eles existem e que a comunidade se fechou depois que tiveram contato com tais seres.

O volume termina com Fukaeri desaparecendo depois que seu livro se transforma em best seller. Seu protetor notifica o desaparecimento, mas, na verdade, seu plano é provocar um alvoroço e fazer com que a polícia e os jornais investiguem a comunidade religiosa para descobrir o que aconteceu com os pais de Fukaeri.

A história se passa toda entre abril e dezembro de 1984. Daí o título do livro, "1Q84". Ele também faz referências a 1984, o livro de George Orwell (que eu não li). Como a letra "Q" é pronunciada da mesma forma que o número "9" em japonês há uma "brincadeirinha" também aí.

Além disso, "1Q84" é a maneira como Aomame se refere ao ano em que está vivendo, "Q" significaria "question mark", pois ela desconfia que algo ocorreu em algum momento e fez com que ela passasse para uma espécie de realidade pararela onde as coisas não são mais como no ano de 1984 que ela conhecia até então. Afinal, quando ela olha pela janela à noite, vê duas luas brilhando no céu...

Uma coisa eu tenho que admitir, o japonês do Murakami é muito simples,  assim como sua forma de narrar uma história. O segredo parece ser escrever as coisas mais doidas da forma mais lógica possível. Li várias traduções para o inglês dos livros do Murakami e acho que elas são bastante fiéis ao estilo do autor. Ele também facilita bastante a vida dos tradutores, pois seus textos lembram muito mais os textos  de autores ocidentais do que os dos autores japoneses que já li. Só fiquei pensando em como vão solucionar algumas "brincadeiras" e jogos de palavras que são possíveis apenas em japonês.

História longa, no fundo, não aconteceu muita coisa neste primeiro volume. Foi mais uma "preparação de terreno", no final, o leitor fica querendo saber quem são esses seres chamados de "little people", o que acontece dentro da comunidade religiosa, qual o passado de Fukaeri, quando Tengo e Aomame vão se encontrar, etc. Murakami também trata da violência doméstica e do abuso de crianças, temas pesados. Vamos ver como o enredo se desenvolve.

Próxima parada 1Q84 2 de 3.


14 comentários:

sonia disse...

Assim como fico de olho nas suas receitas deliciosas, também sigo seus textos e nem preciso dizer que esse livro já me atiçou a curiosidade...rsrs

AVOH disse...

Oiii!!

Que 2011 traga à você o melhor que a vida puder lhe oferecer e que continue iluminando a minha cozinha com mais e mais delícias.
Ontem fiz o gratinado de batatas abaixo, que foi devorado pela família Ohashi, rsrsrs... Delícia!!
Será que o meu fraco japonês dá conta de ler esse romance? Comprou pela Net ou em alguma loja/livraria especializada em artigos japoneses? Fiquei curiosa...
Beijão.

Karen disse...

Sonia, o enredo é curioso, não é mesmo? Há traduções de outros livros do Murakami para o português, se encontrar, sugiro "Norwegian Wood" ou "Minha querida Sputnik".

Avoh, fiquei tão contente em saber que sua família aprovou o gratinado, as batatas ficam mesmo boas!

Eu comprei os livros na Amazon japonesa.

Sou uma leitora bem lerda em japonês, ainda não vivo sem dicionário. Leio só algumas páginas à noite. Esse livro é composto de 3 volumes com 500 páginas cada. Levei quase dois meses para terminar o primeiro. rs

Lindo começo de ano para a sua família também! Espero que todos continuem gostando das receitas que você encontra aqui!

sonia disse...

Oi Karen

eu leio em Inglês, às vezes até prefiro quando a tradução para o Português não está bem feita. Vou ficar atenta e ver se encontro por aqui, senão entro nos sites sobre livros para conhecer esse escritor. Achei o enredo super...rs
bjs

Karen disse...

Sonia, as traduções para o inglês são muito boas, não conheço muito bem as traduções para o português, mas até onde vi, a maioria foi feita em cima das versões em inglês.

Alguns dos livros dele são bem "surreais", os que mencionei acima são bonitos e não tem tantos elementos fantásticos. Acho que são um bom começo para te "fisgar". :)

Anônimo disse...

ler ou não ler seu texto? rs...acabei não lendo, mesmo porque os murakamis estão aí nas livrarias pertinho de casa. e olha os livros são super acessíves por aqui né? vc leu em tão pouco tempo Karen, seu japonês é sugoi. E os livros do Murakami no Brasil são traduzidos do inglês?
madoka

Karen disse...

Madoka, se o frete não fosse tão caro, faria mais compras na Amazon japonesa. Ainda não li o romance inteiro, faltam dois volumes, você acha que foi rápido? rs

Karen disse...

Li em algum lugar que a editora Estação Liberdade traduzia os livros do japonês, mas os que vi até o momento eram todos do inglês mesmo.

aline naomi disse...

Ahhhhhh, quero ler!! =D

miki w. disse...

quis ler seu post, mas ao ver sobre os spoilers desisti, rs.

pretendo ler o livro, ainda não sei qd. só me conta: gostou?

beijos! m.

Karen disse...

Miki, lamento dizer que não gostei, acho que o Murakami enrolou muito, são páginas e páginas que demoram para levar a algum lugar, mas é Murakami, né... :)

miki w. disse...

kkkkkk adorey sua explanação syncera!
bom, se não há nada mais interessante do que esse, a gente se contenta né!

btw, vc sabia que tem um filme japa de norwegian woods?

qual o seu mura favorito?
(será q já te perguntei isso? rs)

bjbj, m.

Ø-Drix disse...


Ao terminar o primeiro livro, fiquei com a sensação de que os capítulos referentes a Aomame fossem do livro que Tengo está escrevendo. E isso me entusiasmou.
Mas estou achando o volume 2 bem bobinho. Parece que o autor é bastante comedido para (ou não sabe como) explorar a narrativa fantástica que ele mesmo desenhou.

Karen disse...

Ø-Drix, tenho que confessar que os últimos livros do Murakami me desanimaram. Achei todos fracos. :(