14.3.12

Universo paralelo ix

Fui a São Paulo no domingo. Peguei o metrô e desci para almoçar na Liberdade. Ia no Lamen Kazu, mas ele estava fechado para reformas ou algo do gênero. Havia fila na frente do Porque Sim. Andei um pouco até o Aska, deixei meu nome para comer no balcão mesmo, mas desisti quando vi o número de pessoas na minha frente. Atravessei a rua e comi novamente no Ebis. Estava com muita pressa. Felizmente o restaurante estava bem tranquilo. Acho que ele é mais frequentado por japoneses. 

Abri o menu que estava pendurado na parede para escolher algo quando o garçom trouxe folhetos com outras opções de pratos, enfiei o dedo no primeiro deles, era um katsudon, e pedi sem pensar muito. Ele estava gostoso, agridoce, o ovo sobre a milanesa de porco estava mais cozido do que em uma versão mais fiel, mas fiquei contente com isso, não gosto de ovos "melosos". Deixei apenas um pouco de arroz no fundo da tigela e o missoshiru que sempre acho que podia ser melhor. Sai após 15 minutos. Engoli a comida. O senhor do caixa disse o valor em japonês e perguntei qual a estação mais próxima também em japonês. Fiquei contente em ser capaz de fazer isso. Tinha horário. Saí correndo, meio que atropelando as pessoas que iam devagar na calçada. Liberdade cheia no domingo, asfixiante, especialmente perto da entrada do metrô. 

Descobri que ainda há coisas em São Paulo de que gosto. Por exemplo, gosto do mêtro no começo da noite de domingo. Ou no começo da manhã do mesmo dia. As luzes sonolentas, as pessoas na plataforma das estações mais vazias. Também gosto de observar a cidade do alto de um prédio, as ruas despovoadas e escuras. Tão despovoadas e escuras que me fizeram correr os 200 metros rasos em um trecho até a casa da minha sogra, onde fui recebida com uma taça de manhattan. Achei forte, mas estava bom. Só não consegui dormir direito. Primeiro, era uma cama estranha; segundo, a cidade é muito barulhenta. Acordei várias vezes.

No dia seguinte, café, metrô, ônibus e retorno ao lar. Foi uma boa quebra de rotina, mas São Paulo me deixa sempre com várias impressões contraditórias.


12 comentários:

Quéroul disse...

a cidade é cheia, bagunçada, caótica e muito nojenta por várias vezes.
mas eu gosto, não tem jeito. são paulo é minha cocota, mesmo quando eu queria era que uma bomba caísse nela.

e metrô - quando funciona - é puro amor. dá pena que ninguém se liga nisso e investe nesse trem (hihi!).

Danni e Lype disse...

Olá Karen,
A cidade realmente está bem caótica... Infelizmente cada dia está pior... Mas, sabe que mesmo assim eu gosto dela... Eu acho que a gente acaba acostumando...
Eu vou muito no restaurante "Aska", mas precisa chegar bem cedo para conseguir lugar... O restaurante é bem pequeno... Mas, bem gostosinho...
É isso...
Grande beijo e boa noite, Irene

tatiane disse...

SP é boa só pra visitar de vez em quando - e ir embora correndo. Um dos meus sonhos é morar longe daqui. E ó, vc teve bem pertinho da minha casa, na próxima vez é só subir uma ladeira e tá em casa, viu? :D

banzai disse...

é bem essa a minha sensação com SP, contradição. Mas é bom de vez em quando uma quebra na nossa rotina, novos lugares, novas cores, novas caras, cheiro...enfim, depois de tudo isso: como é bom voltar pro aconchego do lar né?
madoka

kalina morena disse...

obrigada pelo texto otimo, breve, e tao completo. voce escolheu os detalhes necessarios para passar a experiencia. adorei. a perola abaixo sintetiza sua capacidade de trazer imagem em suas palavras.

'As luzes sonolentas, as pessoas na plataforma das estacoes mais vazias' Karen

abraco e ah, uma quebra na rotina eh sempre boa e nos renova, eu acho.

Karen disse...

Quéroul, adoro o metrô, felizmente, nunca tive problemas com ele.

Irene, vamos ver se consigo comer o lámen algum dia...

Tatiane, você mora pros lados la Liberdade?

Madoka, ando precisando quebrar a rotina, na verdade, acho que preciso de férias...rs

Kalina, nem me fale, com escrevi acima, preciso sair, respirar ares novos!

tatiane disse...

Moro no bairro do lado, é que eu sou preguiçosa e sempre volto da Liberdade carregada de sacolas, mas dá pra ir a pé, ou cinco-dez minutos de ônibus e estou em casa.

Karen disse...

Tatiane, então não é assim tão do lado! rs

Por falar nisso, estarei novamente por essas bandas na próxima semana, quem sabe a gente não se vê?

Mutante disse...

também gosto do metrô aos domingos, da cidade meio vazia. sobretudo no outono, com céu azul e um vento fresco no fim do dia. é uma coisa melancólica boa.

Karen disse...

Mutante, também gosto do outono... :)

ang disse...

Olá Karen.
Também gosto muito do Metrô. Quanto aos restaurantes já frequentei duas vezes o Porque Sim . O proprietário japonês inaugurou-o há aguns anos e trouxe alguns staffs de lá também. Ebsu não fui ainda. O Aska é famoso pelos gyozas. Se gosta de negi deve experientar o negui lamen do porque , é muito bom ! :)
Bom final de semana pra vc !

Karen disse...

Obrigada pelas dicas, Ang!