16.2.07

Impressões gastronômicas de Monte Verde (MG)

Passei alguns dias em Monte Verde, cidade do sul de Minas. Foram dias agradáveis e tranqüilos. Às vezes me esqueço de como é bom parar, ficar longe dos afazeres domésticos e me preocupar apenas com o lugar onde vou comer. Devo confessar que tivemos algumas dificuldades com a alimentação na cidade, pois, agora, tomamos muito cuidado com a alimentação e procuramos evitar pratos pesados ou gordurosos e, em Minas, é difícil fugir do feijão tropeiro, carne de porco e afins. Também achamos que os restaurantes estão meio descaracterizados, quase todos servem mais ou menos os mesmos pratos, você acha truta, fondues, massas e algum prato mineiro em todos os lugares, o que, em minha opinião, acaba com o charme do negócio.

Sei que vou parecer purista, mas fiquei espantada quando vi vários estabelecimentos servindo rodízio de fondue, e tinha até fondue de truta e frango! Para mim, comer fondue tem todo aquele ritual de colocar o rechaud na mesa, colocar a carne/pão/fruta nos espetinhos e saborear tudo bem devagar, curtindo a companhia. Não sei como funciona o tal rodízio, mas achei bizarro.

Comemos aqui e ali, a abóbora aí em cima era recheada com carne seca, foi degustada no restaurante Toca do Rabicó. A idéia do prato é boa, mas achei a carne muito gordurosa, ela é refogada com bacon e linguiça calabresa e a gordura fica no fundo da moranga, esta, por sua vez, não teve tempo de absorver os temperos da carne. A batata que a acompanhava parecia ter sido cozida há algum tempo e depois frita.

A foto acima é do interior do restaurante Pucci, ele é bem arrumadinho e, como a maioria dos restaurantes, tem poucas mesas. Gostei do ambiente, achei a comida apenas ok. Tem opções de fondue, truta, massa, etc. Foi uma pena não ter comido um fondue aqui, ao menos teria sido à luz de vela.

Nunca tinha visto esta cerveja da Antarctica antes, o rótulo parece ter saído dos anos 80, não acham? O se enganou e, ao invés de pedir uma cerveja alemã, recebeu esta.

Este é um restaurante de um dos vários pequenos "malls" da rua central de Monte Verde, chamado Mamma Tera.

Comemos uma espécie de "nhocão" recheado com queijo, vi o mesmo tipo de prato servido em outros lugares. O interessante era que o queijo do recheio tinha sido envolvido em pó de curry, aliás, talvez por sermos os primeiros comensais da noite e o forno estar frio, o queijo não havia derretido.

Já estas broinhas, eu recomendo fortemente! Deliciosas, úmidas, macias, adocicadas, hummm! Vendidas no Museu do Pão (apesar do nome, trata-se de uma padaria bem simples), na vila que fica um pouco afastada do centro.


Mais algumas notas:
Se você for vegetariano e pedir sopa, pergunte se ela não contém bacon (minha sopa de mandioquinha tinha).
A pizza da Cantina Roma é bem decente, boa massa. Éramos os únicos fregueses e os garçons estavam assistindo um filme chinês em um telão. O enredo era muito estranho, envolvia assassinatos, feng shui, mortos e espíritos, acho que nunca saberemos qual era o seu título.
Me disseram que o restaurante "O caipira" serve uma boa comida mineira, infelizmente, não comi por lá.

Depois comento dois lugares "pitorescos" da cidade que valem uma visita.


10 comentários:

Cinara disse...

Karen, que viagem gostosa! Nunca estive em Monte Verde, mas adorei suas dicas... Você devia ser crítica de gastronomia, sabia? ;o) Bjs

Cris disse...

Karen, me bateu uma saudade da cidade, quando fui os restaurantes não eram assim, eram mais simples. Bjs!

Ana disse...

Legal seus comentarios quanto a gastronomia do local! Acho q essas cidades mais turisticas ficam mesmo com os restaurantes meio q desfigurados em ordem a atender os turistas q gostam de frio e fondue, nao Karen!
Q pena vc nao ter encontrado comidinhas ainda mais gostosas... mas essas broinhas estao mesmo cum uma cara otima, boa com um chazinho, ne!
Ana

brisa disse...

Ahh!! Eu achei o "nhocao" uma beleza, mas saber que o queijjo nao estava no ponto cortou um pouco a alegria da foto..Acho que eu gostaria se estivesse no ponto:))

De qquer forma, legal demais teu post e reviews sobre os lugares que visitou. Me impressionou a comercializacao (leia-se descaracterizacao) dos locais..Nao precisa de malls ou fondues pra agradar, nao eh mesmo??

Bjs e obrigada pelo post :))

Bri

Karen disse...

Cinara, essa não é uma má idéia!rs

Cris, meu marido também disse que a cidade mudou muito desde a última vez em que ele a visitou.

Ana, é uma pena que isso aconteça. Mas se vc "fuçar" um pouco, acho que descobre coisas interessantes.

Brisa, eu também preferiria que o queijo estivesse no ponto... Mesmo os habitantes locais temem que a cidade se transforme em uma outra Campos do Jordão.

valentina disse...

Karen, mais uma vez voce faz otimas reviews dos lugares aonde vai. Que pena que o quesito comida nao parece ter agradado muito - compreensível pelas descricoes dadas.Nunca vi esta antartica tao pouco.

Sonia Novaes disse...

Karen
Estivemos essa semana em Pouso Alegre, e tomamos essa cerveja e tb fiz uma foto da mesma...engraçado a coincidência,né?

Karen disse...

Valentina, é sofremos um pouco! rs

Sonia, engraçado essa cerveja não ser vista por estas bandas!

miki w. disse...

karen, tenho uma teoria sobre restaurantes depois que se começa a cozinhar muito em casa: seu nível de tolerância despenca... pelo menos comigo, aconteceu isso. pode ser falta de modéstia, mas fico pensando: se for para pagar esse preço e comer essa comida feita sem carinho, que não foi feita 'com o coração', prefiro eu mesma preparar qualquer coisinha simples que seja na minha casa mesmo.
bom, também pode ser que, com a idade, eu esteja ficando cada vez mais chatinha hahaha.
beijinhos, miki

Karen disse...

Miki, acho que as duas coisas vêm juntas. Nossa tolerância despenca e nós ficamos chatas por isso, ficamos mais exigentes... rs