9.4.07

Bar do Marcelo - Gonçalves (MG)

Por minha família ter tido um bar ao lado da casa por um certo período de tempo (uma das idéias mirabolantes do meu pai), eu sempre vi as pessoas que iam diariamente beber sua dose de cachaça com um pouco de preconceito, afinal, elas bebiam com a regularidade de um remédio com preescrição médica, algumas passavam horas bebendo e assistindo televisão, intercalando doses de "branquinha" com garrafas de cerveja. Sentia os olhares de desaprovação quando as vizinhas vinham buscar seus maridos no estabelecimento, era chato. Mas se eles continuavam a aparecer, era porque o vício era mais forte, pois eu e meus irmãos éramos terríveis e cada vez que alguém se demorava no balcão, recebia nossos olhares de franca reprovação. O pior era quando alguém, já bêbado, aparecia no portão depois que já tínhamos fechado e pedia uma última dose, só mais umazinha... (Ele ficava gritando na calçada enquanto nossos cães latiam, péssima lembrança).

Por longos anos, odiei o aroma da cachaça e desprezei seus apreciadores. Mas estou pronta a mudar de opinião depois de conhecer o "Bar do Marcelo", em Gonçalves, um barzinho como qualquer outro bem na frente da igreja, com inúmeras garrafas de cachaça enfileiradas nas paredes, das mais variadas tonalidade de dourado à transparência mais pura, dos mais variados preços. O Marcelo foi muito gentil e explicou que as melhores cachaças artesanais são produzidas na região de Salinas, no norte de Minas, e foi colocando algumas doses de diversas garrafas para que provássemos.

Provamos umas cinco cachaças diferentes e pudemos constatar as diferenças de aromas e sabores. Algumas são mais encorpadas ou perfumadas do que outras, como os vinhos. Algo surpreendente e capaz de extinguir qualquer preconceito. Descobrimos que uma das características de uma boa cachaça é não ter um álcool muito pronunciado e o aroma deve sempre lembrar a cana, seja sob a forma de garapa ou mais para melado ou rapadura.

A cachaça pode ser envelhecida em barricas de carvalho, bálsamo, etc., por vários anos. O próprio Marcelo envelhece a sua e a engarrafa com rótulo próprio. Compramos uma envelhecida com mel para preparar drinks e caipirinhas, além de mais outras duas garrafas para manter no nosso estoque pessoal. (Eu não experimentei, mas li que o bar serve um ótimo café expresso orgânico).


Foi ótimo conhecer o lugar, só lembre-se de não chamar a "cachaça" de "pinga", isso parece ser meio pejorativo...

9 comentários:

Anônimo disse...

Karen, que tal deixar todos os preconceitos , os títulos, etc, e se soltar no mar infinito da essência de tudo, só o que é, o amor que ciou e continua criando tudo, os alimentos, a bebida, a vida, as pessoas, enfim, diferentes culturas. E feliz ressurreição deixando todas as pedras dos preconceitos rolarem. Um abraço.

Cris disse...

Karen, as cachaças do norte de Minas são as mais caras também... uma garrafa pode custar mais de 100 reais brincando... :-) Mas vale a pena!

lunalestrie disse...

Aqui em Fortaleza (quer dizer, na metrópole, pois fica numa cidade vizinha) tem um Museu da Cachaça, um lugar bem legal pra visitar. :)

Elvira disse...

Devo confessar que adoro cachaça! Ainda bem que não temos bares assim com tantas marcas de cachaça em Portugal, senão eu ficava uma alcoolatra! ;-D

Karen disse...

Anônimo, você tem razão! Abraços!

Cris, eu vi garrafas bem carinhas mesmo...

Luna, eu iria visitá-la! Estou começando a gostar de lugares assim!

Elvira, dá para ficar mesmo! rs

miki w. disse...

karen, adorei a historinha! e todas essas garrafas enfileiradas! puxa, o homem tem um arsenal mesmo! lá no torde, eles têm cachaças de salinas. até experimentei uma caipirita no outro dia com uma cachaça recomendada por eles, mas acho q eu não sou muito fã dessa bebida... pode parecer uma heresia para uma apreciadora de comida brasileira como eu, mas eu prefiro as caipiritas de sakê, o sabor fica mais suave, mais agradável ao meu paladar :-).
beijinhos, miki

Karen disse...

Miki, eu provei uma caipirinha orgânica com mel na pousada que era divina! Outro dia também batemos mel, cachaça e suco de maracujá aqui em casa e ficou ótimo!

Sonia Novaes disse...

Karen
Quando estivemos em Gonçalves, tb visitei esse bar e fiz várias fotos.
Também achei um encanto o local, lá vende o café orgânico da minha amiga de Pouso Alegre.
Gonçalves é tudo de bom mesmo.
No próximo feriado, estamos levando uns casais daqui de Barão para lá, ficaremos Hospedados na Pousada da Cleide em Córrego do Bom Jesus...
beijos
Sonia Novaes

Karen disse...

Sonia, esse bar é bem simpático.

Um dia eu ainda fico na pousada da Cleide, pena que ela fique antes da estrada de terra para Gonçalves! Meu marido não ia querer nem saber de ir até a cidade se ficasse em Bom Jesus, ele detestou a aquela estradinha! rs

Boa viagem para vocês!

Beijos!